Repositório Institucional UNIPÊ Trabalho de Conclusão de Curso Fisioterapia (Bacharelado)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/jspui/handle/123456789/3264
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: Algias da coluna vertebral: impacto na qualidade de vida em profissionais do setor administrativo de um hospital
Autor(es): Santana, Kátia Dara Araújo Damascena
Gaudêncio, Maria Jacyelle Martins
Primeiro Orientador: Quartarone, Rafaela Gerbasi Nóbrega
Resumo: A cervicalgia e lombalgia podem afetar diretamente a qualidade de vida dos trabalhadores, sobretudo àqueles que exercem funções administrativas, tendo em vista a exigência da manutenção da postura sentada por longos períodos, causando uma sobrecarga estática nos tecidos osteomioarticulares da coluna vertebral e consequente dor na referida região. A pesquisa teve como objetivo analisar a prevalência das algias da coluna vertebral em profissionais do setor administrativo de um Hospital de Rede Privada e seu impacto na qualidade de vida dos mesmos. Tratou-se de uma pesquisa de campo, descritiva de caráter transversal, com abordagem quantitativa. A amostra reuniu 32 profissionais administrativos do tipo recepcionistas e mensageiros de um Hospital da rede Privada, de ambos os sexos, com idade a partir de 16 anos. O instrumento de coleta de dados foi realizado através de um formulário online pelo Google Forms®, com perguntas acerca de dados sociodemográficos, impactos psicológicos e físicos durante a pandemia do COVID-19 e sua correlação com a qualidade de vida do trabalhador. Os dados quantitativos foram tabulados pelo programa Microsoft Excel e analisados a partir da estatística descritiva, sendo apresentados em forma de gráficos e tabelas. Grande parte dos participantes, equivalente à 68,8% são do sexo feminino, onde a faixa etária que mais prevaleceu (34,4%) foi de 31 a 39 anos. A profissão prevalente na amostra é de recepcionista, equivalente à 84,4%, já com relação ao tempo de trabalho, 25% trabalham no setor administrativo de 11 a 15 anos, observou-se ainda que 87,5% dos participantes trabalham de 3 a 4 dias por semana, e 84,3% trabalham em média 12 horas/dia. Foi observado nos profissionais do setor administrativo que 53,1% apresentaram cervicalgia e 68,8% apresentaram lombalgia, 84,4% trabalham na postura sentada e que 75% dos respondentes não realizam pausas durante o trabalho para se alongar. Contudo, não foi observado impacto na produtividade e qualidade de vida dos participantes. Diante dos achados, ressalta-se a necessidade de ampliar estudos acerca da temática procurando melhorar as condições de trabalho e minimizar a dor que apesar de não ter sido prevalente nesta amostra, é real no cotidiano de trabalhadores que atuam no cenário administrativo. Sugere-se a realização de uma intervenção ergonômica de correção nos postos avaliados.
Abstract: Neck pain and low back pain can directly affect the quality of life of workers, especially those who perform administrative functions, in view of the requirement to maintain the sitting posture for long periods, causing a static overload on the musculoskeletal tissues of the spine and consequent pain in that region. The research aimed to analyze the prevalence of spinal pain in professionals in the administrative sector of a Private Network Hospital and its impact on their quality of life. It was a cross-sectional descriptive field research with a quantitative approach. The sample gathered 32 administrative professionals of the type receptionists and messengers of a Hospital in the Private network, of both genders, aged from 16 years. The data collection instrument was performed using an online form via Google Forms®, with questions about sociodemographic data, psychological and physical impacts during the COVID-19 pandemic and its correlation with the worker's quality of life. Quantitative data were tabulated using Microsoft Excel and analyzed using descriptive statistics, presented in the form of graphs and tables. A large part of the participants, equivalent to 68.8% are female, where the most prevalent age group (34.4%) was between 31 and 39 years old. The predominant profession in the sample is receptionist, equivalent to 84.4%, in relation to working time, 25% work in the administrative sector from 11 to 15 years, it was also observed that 87.5% of the participants work for 3 to 4 days a week, and 84.3% work an average of 12 hours/day. It was observed among professionals in the administrative sector that 53.1% had neck pain and 68.8% had low back pain, 84.4% worked in a sitting posture and that 75% of respondents did not take breaks during work to stretch. However, no impact on productivity and quality of life of the participants was observed. In view of the findings, the need to expand studies on the subject is highlighted, seeking to improve working conditions and minimize pain which, despite not having been prevalent in this sample, is real in the daily lives of workers who work in the administrative setting. It is suggested to carry out an ergonomic correction intervention in the evaluated posts.
Palavras-chave: Saúde do Trabalhador
Cervicalgia
Lombalgia
Fisioterapia
Qualidade de vida
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Centro Universitário de João Pessoa
Sigla da Instituição: UNIPÊ
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/handle/123456789/3264
Data do documento: 20-Dez-2021
Aparece nas coleções:Fisioterapia (Bacharelado)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
KATIA DARA ARAUJO DAMASCENA SANTANA.pdf992.21 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.